terça-feira, 6 de novembro de 2018

O CAPITALISMOS NEOLIBERAL E OS 3 SINAIS DE UM COLAPSO DA ECONOMIA AMERICANA!

Enquanto as ações nas bolsas dos EUA estão em alta e a economia norte-americana passa pelo terceiro período mais longo de expansão na sua história, os especialistas preveem o início de outra crise econômica.
 

Há três sinais do futuro declínio da maior economia do mundo, UM JORNALISMO INVESTIGATIVO nos levou ao portal Russo "Vesti Finance."
  
1. O RENASCIMENTO DAS CHAMADAS OBRIGAÇÕES SINTÉTICAS DE DÍVIDA COM GARANTIA (CDO, POR EXEMPLO)
Os jogos mais arriscados em Wall Street são realizados com instrumentos financeiros conhecidos como derivados financeiros.
 
Eles receberam esse nome porque eles "derivam" seu valor dos ativos subjacentes nos quais se baseiam. Dependendo do preço do ativo subjacente, os derivados podem gerar grandes ganhos ou enormes perdas.
 
Quando os bancos e instituições financeiras começam a operar com derivados, a situação se torna especialmente perigosa. Foi isso que aconteceu na crise recente: muitos bancos "grandes demais para quebrar" assumiram o risco excessivo com derivados e não conseguiram lidar com as perdas enormes.
 
Agora, depois de quase 10 anos sem usar tais instrumentos financeiros, alguns dos derivados mais destrutivos estão ganhando novamente popularidade. Estes derivados se chamam CDO sintéticos e um dos maiores bancos, o Citigroup, encabeça o seu retorno a Wall Street. Segundo o Vesti.Finance, isso pode provocar uma nova crise.
  
2. PADRÕES MAIS BAIXOS NOS CRÉDITOS HIPOTECÁRIOS
Quando os bancos emprestam dinheiro às pessoas que não podem pagar, sempre acontece alguma coisa má. Por que é que os bancos realizam essa concessão imprudente de créditos? Há duas razões para isso. A primeira é a baixa demanda por créditos. A segunda é a grande concorrência entre os bancos.
 
Os preços da habitação em todo o país estão muito inflacionados. Segundo os dados do índice norte-americano Case-Shiller de preços da habitação, de fato, eles superam os níveis da bolha imobiliária de 2008. Isso significa que os credores estão baixando os critérios e concedem mais créditos hipotecários, o que levará a mais uma bolha no mercado.

 3. ÍNDICE DE ARRANHA-CÉUS
O índice de arranha-céus do "Banco Barclays" recolheu os dados dos últimos 100 anos e examinou os bons históricos nos principais projetos de construção comercial (principalmente relacionados com a construção de arranha-céus) e sua tendência de preceder as recessões econômicas.
  •  O índice mostra uma forte ligação entre a construção de arranha-céus e as quedas fortes no mercado, desde a última grande recessão de origem da crise global de 2008, preços de imóveis perdem força e indicam sinais de problemas e até mesmo a depressão de 1873.
 Os analistas que trabalham com esse índice creem que as condições correspondentes estão de volta, porque as grandes cidades da China, Índia, Arábia Saudita e EUA planejam iniciar mais uma ronda de construção dos arranha-céus mais altos na história.

 
RESUMO DAS APLICABILIDADES AMERICANAS NO EXTERIOR
 
O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, já afirmou sobre as negociações nucleares do Irã em Viena, desde 2015 , pois bem, está briga por esta energia nucelar, está levando os Estados Unidos a perder mercado e investir pesado externamente para se salvar economicamente em suas bases internas,a famosa centralização econômica republicana.
A opção está aberta para Trump aumentar as apostas e punir a China através de sanções ou outros meios, mas mesmo ele provavelmente não tem o apetite para abrir uma guerra econômica em uma segunda frente.
  • Isto já esta ocorrendo com Brasil sendo sancionado pelos países do oriente médio, como esta fazendo o Egito sancionou a exportação de carnes dos produtores Brasileiros , isto irá acarretar a economia interna levando o país a inflar gerando inflação e juros ainda mais altos.
 
A mesma consideração se aplica à Índia de Narendra Modi, que enfureceu os EUA ao continuar comprando petróleo iraniano.
  • Será que Trump realmente quer transformar a Índia em um inimigo?

Tudo isso significa que a administração Trump cometeu  um erro de cálculo épico. Trump acha que ele pode levar a comunidade internacional com ele enquanto embarca em sua guerra econômica contra o Irã.
  • Ele não pode - e isso significa perigo mortal para os EUA. Trump está jogando por apostas muito altas; se ele perder, muito do poder global dos EUA entrará em colapso.
 
ENFRAQUECIMENTO DO MÚSCULO FINANCEIRO

Isso ocorre porque, nas últimas décadas, os sucessivos presidentes americanos usaram o status de moeda de reserva do dólar americano como arma para isolar os inimigos do país e fazer valer sua vontade. Deste modo, conseguiu atacar o terror em seus inimigos e recompensar aliados.
 
Esse músculo financeiro tem sido uma ferramenta muito mais potente do que o poderio militar. Se Trump falhar em sua guerra econômica contra o Irã - e eu acredito que ele irá - sinalizará ao mundo que o dólar não pode mais ser usado como uma arma da política externa.
 
LEMBRETE DO PASSADO
 
Sessenta anos atrás, a humilhação da Grã-Bretanha em relação à Suez marcou o momento em que não puderam mais exercer sua força em todo o Oriente Médio. Se Trump falhar no Irã, o grito vai circular nas regiões da região onde os EUA são um tigre de papel.
 
Portanto, veríamos o fim da hegemonia global dos EUA e o surgimento de áreas econômicas rivais, com poder e alcance para operar independentemente da pressão econômica dos EUA.
 
Analisando os fatos políticos e econômicos ,os países que se aliaram com Estados Unidos e mantem relações afetivas economicamente, também serão afetados , inclusive os países que não tem reservas de moeda internacional !

 
 
 
 
 
 

 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BOLSONARO!!! A CRISE ECONÔMICA AMERICANA CHEGANDO DE DRONE NO MUNDO

A CRISE AMERICANA A GRANDE MARMOTA DE UMA  CRISE IMOBILIÁRIA DE 2008! Com o Golpe Financeiro no Setor imobiliário ,uma vez mais economia...