sexta-feira, 28 de outubro de 2016

EDUCAÇÃO É INVESTIMENTO A LONGO PRAZO E NÃO É GASTO !!!!!!!!!!!!!!!!!

                               


CONTRA A PEC 241 - REFORMA DO ENSINO MÉDIO REACENDE MOBILIZAÇÃO EM TODO PAÍS ,UM ANO APÓS OCUPAÇÕES EM SÃO PAULO


O governo não investe na educação para não ter uma geração de pensadores, uma geração PULSANTE pronta para revolucionar seu país .

Por que o Brasil precisa investir mais em Educação?
O país tem uma dívida histórica com seu sistema educacional. Para saná-la, são necessários muito dinheiro e boa gestão.
O projeto de lei que instaura o novo Plano Nacional de Educação (PNE) deveria ter entrado em vigor no início de 2011. Mais de dois anos depois, o texto ainda aguarda o fim da tramitação. Um dos principais motivos do atraso é a polêmica em torno da meta número 20, que define o valor a ser investido em Educação até o final dos dez anos de vigência do PNE. 

Três correntes se enfrentam nessa discussão: além dos defensores do investimento equivalente a 10% do Produto Interno Bruto (PIB) - proposta aprovada na Câmara dos Deputados, em discussão no Senado até o fechamento desta edição -, há aqueles que trabalham por um percentual menor, entre 7 e 8%, e uma terceira vertente que afirma ser desnecessário ampliar o valor atual. 

O principal argumento desse último setor se apoia em uma conclusão equivocada, obtida com base em dados verdadeiros. Atualmente, o Brasil e a Coreia do Sul investem praticamente o mesmo percentual do PIB em Educação (4,97 e 4,63%, respectivamente, segundo dados do IMD World Competitiveness Yearbook 2012). Apesar disso, o país asiático figura entre os mais bem colocados nos rankings do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), enquanto nós ocupamos a amarga 53ª posição. Surge, então, a pergunta: se investimos o mesmo, por que apresentamos resultados tão diferentes?
A melhor maneira de responder a essa questão é desfazer uma confusão de conceitos econômicos presentes na comparação: Brasil e Coreia não investem o mesmo. Utiliza-se o percentual do PIB como referência para obter a dimensão do esforço que cada país faz para garantir um ensino de qualidade.

Contudo, essa informação não pode ser a base para contrapor diferentes países, pois desconsidera particularidades importantes. Por exemplo: se dividirmos os PIBs da Coreia do Sul e do Brasil pelo número de habitantes de cada país, o valor per capita obtido será de 32,4 mil dólares anuais para os coreanos e 12 mil para os brasileiros. 
A educação sempre foi vista como um problema incômodo, complicado e muito trabalhoso. Os Secretários bons , são os que não dão muito trabalho ao poder central e, geralmente, não têm prestígio e nem poder no governo e as boas políticas são as de fácil propaganda e poucos resultados concretos.

NÃO EXISTE NENHUMA COBERTURA DAS REDES DE TELEVISÃO DIVULGUEM O MAXIMO QUE PUDEREM !! 


VAMOS APOIAR OS ESTUDANTES QUE OCUPAM ESCOLAS EM TODO PAÍS CONTRA AOS DESMANDOS DOS POLÍTICOS !!!!!!

NOTÍCIAS DA MOBILIZAÇÃO PELO PAÍS.

Depois de uma assembleia mal sucedida , na qual não se chegaram a nenhuma conclusão. Alunos estão ocupando um maior numero de Escolas ,Universidades e Institutos Federais , decidiram ocupar e não vão parar .” Alunos, do terceiro ano da Escola Estaduais-Municipais e federais em todo país e seus discurso tem um quê de replay. Eles poderia ter dito a mesma frase há um ano, antes de a escola ser a primeira ocupada no Estado de São Paulo contra a reorganização escolar proposta pelo Governo Alckmin (PSDB). Mas foi nesta semana , a decisão de ocupar o maior numero de escolas em todo o páis . Os estudante mencionaram a possibilidade de repetir um movimento que cresce até derrubar os secretários de Educação de cada Estado e suspender, ao menos temporariamente, a PEC 241 e sua reformas educacionais.


Hoje podemos sentir que é possível saber que é apenas o início de um movimento em cascata que chegara , rapidamente, a todo país escolas ocupadas por todo o Brasil . As ocupações serão a segunda parte de uma luta iniciada com abaixo-assinados, protestos nas ruas e tentativas, sem sucesso, de conversa com dirigentes de ensino.


Hoje os alunos querem mais explicações sobre o projeto que foi anunciado às pressas. O Governo de Temer e seus Políticos defende que escolas de ciclos únicos, sem partidos e com mordaças – porque somente o Ensino Médio, ou somente o Fundamental – que apresentam melhores resultados de desempenho. Além disso, argumenta-se que o número de salas ociosas tem aumentado nos últimos anos e será preciso um remanejamento para otimizar os espaços.

Hoje, a oposição dos estudantes é contra um projeto de maior abrangência, a reforma do Ensino Médio, anunciada pelo Governo Temer e que começará a ser implementada já a partir do ano de 2017 em todo o país. Em comum, além do uso de sinônimos para os nomes - reforma e reorganização - os dois projetos têm, na opinião de alunos a educadores, a falta de diálogo com a comunidade escolar, a surpresa do anúncio e a possibilidade de mudar a rotina de milhares de alunos.

A diferença agora é que a reforma será nacional. O ministério da Educação afirma que a reforma do Ensino Médio irá aumentar o número de escolas em período integral e oferecer uma formação voltada aos interesses dos alunos, que poderão optar por uma das cinco áreas: ciências humanas, ciências da natureza, linguagens, matemática e formação técnica profissional. As polêmicas envolvem a desobrigatoriedade das disciplinas de Artes, Educação Física, Sociologia e Filosofia, algo que ainda não está claro.

Isto fica claro que os alunos jamais terão condições de formar uma O.S.P.B - ORGANIZAÇÃO SOCIAL POLITICA BRASILEIRA, muitos menos o E.M.C – EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA, o que será de nossos jovens sem estas bases em nossa DEMOCRACIA?


De acordo comas Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), a falta de diálogo, com os estudantes é uma das maiores fragilidades das duas reformas. "Essa é a grande lição para os formuladores de política educacional: não dá para não escutar os jovens quando a gente pensa em reformulação do ensino médio", diz. "E escutar significa compreender os seus anseios, as suas reivindicações".


De acordo com ela, o movimento dos secundaristas no ano passado revelou a demanda por participação dos alunos na vida escolar, o contrário, segundo ela, do que acha o senso comum. "Eles os estudantes gostam da escola sim, acham importante participar, isso tem um significado pra eles", diz. "E eles têm o que dizer sobre essa escola". Apesar dessa revelação, o que acontece agora, com a reforma do Ensino Médio, é uma repetição de uma fórmula que fracassou no ano passado. "Agora, é uma situação análoga. É uma medida que mexe com eles e eles estão querendo dar a sua opinião sobre o assunto".

O movimento é contra o toda forma. Isto poderá levar o fechamento , mais de 3.000 escolas, em todo o País segundo os estudantes, e 2.400 segundo o Governo Federal, todas deverão ser ocupadas contra a reforma do Ensino Médio.
Pressão no Congresso- Uma Ditadura de Decreto Lei!!!!

Embora agora a onda de ocupações no Brasil seja um sinal considerável da reação dos secundaristas à reforma do Ensino Médio, se quiserem tentar repetir também a vitória do ano passado, eles terão de correr contra o relógio e pressionar o Congresso. Isso porque se trata de uma medida provisória (MP), instrumento para . "A MP vem a substituir o que na ditadura se chamava Decreto de Lei", explicou Carlos Roberto Jamil Cury, um dos principais especialistas em legislação educacional do Brasil. "E foi colocada na Constituição com duas características: urgência e relevância. A relevância, neste caso, ninguém discute, mas qual a urgência se você tem um plano nacional de educação?", questiona.

A Medida Provisória entra em vigor a partir da data em que é assinada pelo presidente MICHEL TEMER - o que, neste caso, ocorreu em 23 de setembro. Tem vigência de até 120 dias. Durante esse prazo, ela precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional.

O Congresso pode aceitar o texto do jeito que está, aceitar com alterações ou rejeitar. De acordo COM OUTRAS NOTICIAS , existem mais de 500 propostas de alterações dessa MP. "Eu imagino que tenha de tudo nessas alterações, desde coisas adequadas até coisas mais teratológicas", . Porém, não souberam mencionar algumas das propostas.




As ações nas ruas e até dentro de algumas escolas foram duramente reprimidas pela Polícia Militar, em atos violentos contra estudantes que, em sua maioria, eram menores de idade. uma comissão de pais de alunos denunciou à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos os abusos policiais sofridos pelos estudantes. No relatório, contabilizavam mais de 100 detenções ao longo dos protestos.

A vitória dos secundaristas poderá levar também à queda do então Ministro da Educação e seus secretários de Educação em todo Páis.

O PAIS JÁ PRA RUAS PEDINDO DIRETAS JÁ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

RESUMO : Isso porque o curto calendário para a discussão de um tema tão extenso ainda está condicionado às eleições municipais quando muitos deputados ficam ausentes para fazer campanhas em suas cidades e ao fim de ano, que abrevia ainda mais o tempo. "Ou seja, não há outra alternativa para os estudantes e os demais da nação pressionar o Congresso", concluímos.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

A CONSTITUIÇÃO FEDERAL TEM UM CRIME IMPUTADO EM SUAS LEIS : FORMAÇÃO DE QUADRILHA – Artigo 288 do Codigo Penal

A QUADRILHA INSTALADA NA POLITICA BRASILEIRA É MAIS SERIA DO QUE PENSAMOS!


GASTOS COM JANTAR E REPASSES À MÍDIA SERÃO FICHINHA. O PREJUÍZO AINDA NEM COMEÇOU!!!!!!!!



Art. 288 - Associarem-se mais de três pessoas, em quadrilha ou bando, para o fim de cometer crimes: (Vide Lei nº 12.850, de 2.013) (Vigência)

Parágrafo único - A pena aplica-se em dobro, se a quadrilha ou bando é armado.

Art. 288. Associarem-se 3 (três) ou mais pessoas, para o fim específico de cometer crimes: (Redação dada pela Lei nº 12.850, de 2013) (Vigência)

Pena - reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos. (Redação dada pela Lei nº 12.850, de 2013) (Vigência)

Constituição de milícia privada (Incluído dada pela Lei nº 12.720, de 2012)

Art. 288-A. Constituir, organizar, integrar, manter ou custear organização 


O CUSTO PARA REUNIR TODA A QUADRILHA!!!!


Os mais de R$ 50 mil gastos no jantar de domingo e os R$ 20 milhões em propaganda na TV e em jornais para enganar o povo já seriam de causar vergonha. 

Mas o pior ainda está por vir ,enquanto tenta acelerar a aprovação de uma proposta de emenda à Constituição, a PEC 241, que vai impor ao povo racionamento na educação, na saúde, na renda dos trabalhadores, nas aposentadorias e até na comida da população mais vulnerável, o governo de Michel Temer desfruta a aliança com os meios de comunicação para tripudiar sobre a ludibriada opinião pública.

Dias depois do luxuoso banquete para 281 convidados, 217 parlamentares, 33 ministros e assessores e 31 mulheres de congressistas, começa a aparecer o custo do agrado. As versões mais conservadoras estimam em entre R$ 180 e R$ 200 por pessoas. O valor total desembolsado seria entre R$ 50,5 mil e R$ 56,2 mil –embora algumas notícias aqui e ali tenha citado valores acima de R$ 100 mil.

Além de deputados da base de Temer, aproveitaram o jantar grátis (existe jantar grátis?) o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, o homem do pato, e aquele que foi considerado a "estrela" da noite, o ex-deputado Roberto Jefferson, cacique do PTB e réu confesso condenado da Ação Penal 470, o chamado mensalão.

Foi assim que Michel Temer passou a noite de domingo (9) construindo a maioria para aprovar o maior ataque aos direitos do povo na história deste país, para garantir apoio e quórum para a votação da PEC 241, no dia seguinte, Ao congelar e desvincular os gastos públicos por 20 anos.

Mas talvez esse gasto com o jantar venha a ser fichinha perto do que os brasileiros podem vir a perder tanto com a PEC – se sua aprovação vier a se confirmar –, quanto com o os cargos distribuídos entre os parlamentares e seus indicados em postos do governo e estatais. Se a história do PMDB desde os anos 1980 foi cobrar caro dos governos que apoiou, agora, que está do outro lado do balcão, sabe que um jantar pomposo ajuda, mas não resolve.

SE FOSSE UM PARTIDO DE ESQUERDA DANDO ESTÁ FARRA AOS  POLÍTICOS?

Claro que o moralismo seletivo de nossa imprensa corporativa não iria perdoar esse festival de fisiologia explícita se partisse de algum governo progressista. Mas o fato é que ela também tomou parte da farra. Segundo notas discretas em alguns jornais, o repasse desembolsado em propaganda na televisão e nos jornais para convencer a população de que a PEC é necessária para "equilibrar" o orçamento estaria na casa dos R$ 20 milhões.

Três dias depois, na quarta-feira (12), a portas fechadas, Michel Temer almoçou no Palácio do Jaburu, com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, para discutir medidas para recuperar a economia e agradecer a bancada do PSDB na Câmara pela aprovação da favor da PEC em primeiro turno. FHC ouviu também a promessa de um novo jantar com senadores da base aliada, nos mesmos moldes do que foi organizado com os deputados.

Do almoço no Jaburu participou ainda o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, também presidente do Tribunal Superior Eleitoral – onde tramitam cinco ações contra a chapa presidencial que tinha Temer como vice. Com o "amigo" Gilmar o assunto teria sido a reforma política – já que líderes dos partidos devem discutir a partir da próxima semana e alterações no sistema eleitoral.

Gilmar Mendes manifestou a Temer preocupação com a pauta discutida no Congresso e disse ser necessário encontrar uma forma eficaz de financiamento eleitoral. Mas disse que, "o pessoal está otimista com o bom resultado da eleição municipal, e com a aprovação da PEC para refazer a situação muito difícil do país".

Se é para ser tão neoliberal, o governo Temer pelo menos poderia colocar os banqueiros para pagar a conta. Afinal, a PEC 241 impõe limites a gastos com saúde, educação, salários e outras políticas sociais, mas não ao pagamento de juros aos bancos.

A HISTORIA DE TODOS  OS ESCÂNDALOS QUE ESQUECERAM!!!!!!!! 




Para completar a semana em que a aliança governo-mídia tripudiou sobre a nossa ludibriada opinião pública, nada mais "normal" do que a notícia de que caducou o processo nº 990046981-0, que tratava do chamado caso Marka-FonteCindam, de 1999 – por peculato e gestão fraudulenta de instituição financeira em operações de câmbio feitas em 1999 nos bancos FonteCindam e Marka, do banqueiro italiano Salvatore Cacciola.

O caso é um dos mais emblemáticos escândalos do governo FHC (PSDB) e custou aos brasileiros R$ 1,5 bilhão à época. Era 1998, e o presidente concorria à reeleição. A moeda brasileira estava sobrevalorizada, mas FHC não a desvalorizava, alegando que a medida desestabilizaria a economia e a população poderia perder a confiança no governo. Houve fuga de capitais, e o país foi pedir socorro ao FMI, alegando crise internacional.

Passada a eleição, Fernando Henrique, então reeleito, mudou o sistema de câmbio fixo (dentro da faixa chamada banda cambial), para o de câmbio flutuante, no início de 1999. O dólar pulou imediatamente de R$ 1,22 para R$ 1,60. Isso com inflação baixa e salários fixos, em real.

Para ilustrar as consequências da medida: muita gente havia comprado carros por meio de leasing, com valores em dólares. Alguns perderam o que já tinha sido pago, e devolveram o carro, tamanho foi o aumento da mensalidade, na conversão para o real.

Empresários que tinham empréstimos em dólares quebraram ou quase. Importadores tiveram os custos de suas mercadorias em reais quase dobrados, e não tinham como vender a esse preço. Todos que acreditaram na estabilidade cambial perderam.

OS PREJUÍZOS  AOS BANCOS ESTATAIS !! E LUCRO AOS BANCOS PRIVADOS!

Mas os bancos privados tiveram um enorme lucro. Quem ficou "vendido" em dólares (ou seja, com o prejuízo) foi só o Banco do Brasil (que "misteriosamente" foi um dos únicos bancos que não previram a desvalorização do real, sofrendo um enorme prejuízo), e mais dois bancos pequenos, Fonte-Cindam e Marka, ambos de Cacciola.

Mas veio o Banco Central (BC), que acabou sendo uma "mãe" para os bancos de Cacciola saldarem seus contratos em moeda estrangeira. Ao Marka, o BC vendeu o dólar, que custava R$ 1,60, por R$ 1,27. Ao FonteCindam, por R$ 1,32.

Com isso Marka e FonteCindam tiveram seus lucros garantidos, pois receberam dólares comprados com cotação subsidiada pelo povo brasileiro, e puderam revender a R$ 1,60.

Ao todo, os dois bancos provocaram um rombo de R$ 1,5 bilhão.

Cacciola foi preso por crime contra o sistema financeiro. Em 2000, o ministro do STF Marco Aurélio de Mello concedeu-lhe habeas-corpus e, no dia seguinte, o banqueiro fugiu para a Itália.

Resumo : Esse escândalo do governo FHC levou à condenação do ex-presidente do Banco Central Francisco Lopes a 10 anos de prisão, e a ex-diretora do BC Tereza Grossi a 13 anos. Outros diretores do BC também foram condenados. Quinze anos após condenação, todos estão soltos e o crime, prescrito.



E os políticos envolvidos onde eles estão?

terça-feira, 25 de outubro de 2016

TODOS OS AMARELINHOS PANELEIROS, PEDIRAM FORA DILMA , O QUE ELES GANHARAM DA CÂMARA DOS DEPUTADOS ?







APROVAÇÃO DA PEC 241 POR DUAS VEZES ,COMPRADA COM UM JATAR ,CAFÉ DA MANHÃ E UM ALMOÇO QUE RESULTARAM EM 359 VOTOS A FAVOR. 


Câmara dos Deputados aprovou na noite 25/10/2016, em segundo turno, o texto principal da Proposta de Emenda à Constituição que limita por 20 anos os gastos públicos, indexando-os à inflação os Deputados votam no momento os destaques ao texto. 

O texto estabelece que, pelos próximos 20 anos, as despesas da Executivo, Legislativo e Judiciário só poderão crescer conforme a inflação do ano anterior. 

COMO FICA A LAVA JATO?

Com a aprovação da PEC 241 poderá reduzir as investigações contra a corrupção no país, inclusive a operação Lava Jato, e, ao mesmo tempo, transformará o Executivo no poder controlador do Judiciário, do Ministério Público e da Polícia Federal. Segundo o presidente da entidade, entidade que congrega cerca de 1800 juízes federais em atividade no país, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que estabelece teto para gastos orçamentários do governo nos próximos 20 anos, vai engessar toda a Justiça no país, caso seja aprovada em definitivo. Na noite de ontem, a medida foi aprovada em primeiro turno na Câmara. 

COMO FICARÁ O ORÇAMENTO DA POLICIA FEDERAL? 

“Como a PEC 241 está limitando o orçamento, ela obriga a Justiça Federal a demitir terceirizados , a não renovar os contratos dos estagiários e vai também inviabilizar a substituição de servidores e de magistrados aposentados”, criticou o presidente da Ajufe. Para ele, com isso, os cortes orçamentários tornarão inviáveis as investigações – sobretudo, seu aprofundamento - existentes no país contra a corrupção. 

Os desvios de recursos públicos, que totalizam cerca de R$ 69 bilhões anuais segundo dados divulgados pela Decomtec, é uma das causas da atual crise econômica. Se não forem arduamente combatidos esses desvios, salientou, a corrupção no Brasil persistirá e só trará mais prejuízos à sociedade brasileira. 

QUANTO O PAIS VAI SOFRER EM 10 ANOS COM A CORRUPÇÃO ?

A partir do décimo ano, o presidente da República poderá propor uma nova base de cálculo ao Congresso.

É sumamente importante que a sociedade esteja atenta a esse fato (imposição do teto orçamentário), porque a não investigação da corrupção somente favorece aqueles detentores de cargos públicos que usufruíram, ao longo dos anos, das benesses da corrupção”. O presidente da Ajufe foi categórico: “A aprovação da PEC 241 vai atrapalhar as investigações contra a corrupção em curso no Brasil”. 

Durante realização de simpósio de combate à corrupção, em Salvador (BA), promovido pela Associação dos Delegados da Polícia Federal, que estudos disponíveis no Judiciário com base em dados levantados pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) concluem que o rombo causado pelos desvios de recursos aos cofres públicos é da magnitude de R$ 69 bilhões anuais. 

Segundo os magistrados , a Lava Jato, até agora, calcula que os acusados denunciados na operação se apropriaram indevidamente de R$ 6, 4 bilhões. “ou seja, o que a Lava Jato está apurando se refere a apenas 10% do valor global dos desvios de verbas públicas no país anualmente; portanto, ainda há muita coisa a investigar para se aprofundar o combate à corrupção, o que não será permitido pela PEC do Teto”.


RESUMO: - O BURACO NEGRO EM NOSSA ECONOMIA E O FIM DA LAVA JATO!



"Esse quadro demonstra que temos ainda uma quantia imensa de valores apropriados indevidamente da administração pública e que precisa de investigação”.O corte no orçamento explicitado na PEC 241 inviabilizará a investigação aprofundada dos outros 90% de corrupção que existe no país (já que apenas 10% foram apurados. Tal fato, acontecerá sobretudo devido à 
  • Demissão de terceirizados, 
  • Não-renovação de contratos de estagiários, 
  • Impossibilidade de substituição de servidores e magistrados que forem aposentados.
  • O aumento do desemprego no pais, 
  • A estagnação da educação 
  • A estagnação saúde 
  • A estagnação da segurança 
  • As reformas trabalhistas,com fim do 13º,Ferias e 1/3 de Ferias
  • As reformas previdenciárias 
  • As reformas dos benefícios já conquistados aos longo dos últimos 14 anos.
Se o pobre não trabalhar , não gera economia , se não gera economia , o rico terá que gastar mais sem ter recursos.Então seus lucros imediatos serão gastos a médio e longo prazo, resultado classe media voltando a ser pobre novamente,pensa bem !!!!Agiram se pensar no que estava por detrás dos políticos, então agora eles que aguentem também !!! Quem sabe agora todos aprenderam a lição desde o mais pobre ganancioso ao mais rico ostentação!!!

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

PT USA TÁTICA DE EXERCITO E PODE APOIAR NOME DO SENANDOR EUNÍCIO OLIVEIRA (PMDB-CE) PARA PRESIDIR O SENADO!!!!!!



Cada coluna de políticos da esquerda possui certo número de apoiadores que se diferenciam por estarem mais próximas do inimigo, na vanguarda, ou mais distantes destes, na retaguarda da formação política.

Os políticos que se localizam na primeira linha começarão o assédio ao inimigo, através de um poderoso ataque à curta distancia com a declaração de apoio e os demais políticos imediatamente posteriores às primeiras ofertas de apoios realizam um ataque menos destrutivos com outros políticos. No final da formação se localizará um político no meio e na lateral direita de cada formação de apoio. As bases políticas serão organizada a médio e curto prazo.

Os petistas querem garantir o mínimo de poder para o partido em postos-chave no Senado, com a acomodação de servidores ligados à sigla em cargos da Mesa Diretora.



Com aval do governo para suceder Renan Calheiros na presidência do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), tem buscado todo o apoio possível para garantir unanimidade em torno de sua candidatura, incluindo até negociações com o PT; senadores petistas procuraram Eunício para saber se ele estaria disposto a adotar, na eleição de fevereiro, o critério da proporcionalidade para a distribuição de postos no comando do Senado; em troca, receberia o apoio de pelo menos parte da bancada do principal partido de oposição ao governo de Michel Temer.

"Em princípio, isso vai fazer com que muitos políticos votem no nome que for sugerido pelo maior partido da Casa, o PMDB".

Ainda de acordo muitas noticias , antes mesmo do início da campanha oficial, Eunício tem sido alvo de fogo amigo dentro do próprio PMDB. A publicação detalha que as informações plantadas vão desde problemas com a saúde do senador –que ele desmente– até candidaturas paralelas de correligionários, como Garibaldi Alves (RN).

Ele pondera, porém, que o tema ainda não foi discutido a fundo com a bancada e que, se algum senador divergir do método, haverá debate.

Mas acreditamos que a tendência será respeitar o critério de proporcionalidade. Essa é a prática mais comum entre os políticos.

O nome de Garibaldi vem como concorrente interno de Eunício surgiu em 29 de agosto, dia do depoimento de Dilma Rousseff na sessão do julgamento final do impeachment.

O líder dos petistas no Senado, Humberto Costa (PT-PE) disse que a atitude da sigla é em defesa da proporcionalidade e que, caso o candidato do PMDB adote o critério, terá o apoio da bancada do PT. "Em princípio, isso vai fazer com que a gente vote no nome que for sugerido pelo maior partido da Casa, o PMDB", disse Costa à Folha.



Ele pondera, porém, que o tema ainda não foi discutido a fundo com a bancada e que, se algum senador divergir do método, haverá debate. "Mas creio que a tendência será respeitar o critério de proporcionalidade. Essa é a nossa prática mais comum". Os petistas querem garantir o mínimo de poder para o partido em postos-chave no Senado, com a acomodação de servidores ligados à sigla em cargos da Mesa Diretora.

Os mais pragmáticos do partido lembram que já abriram mão de muito espaço ao perderem a liderança do governo. Hoje, o PT ainda tem a primeira vice-presidência e a quarta secretaria da Mesa. Os considerados mais ideológicos pelos colegas, como o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), por sua vez, preferem não se aliar a um nome que votou pelo impeachment.

Aliados de Eunício dizem que até mesmo auxiliares de Temer ensaiaram um movimento de "entusiasmo" a Garibaldi que, na visão deles, seria "menos independente" que Eunício. Ainda segundo os interlocutores do líder do PMDB no Senado, os ministros mais próximos ao presidente não têm força política –leia-se votos– para interferir na eleição da Casa.


RESUMO :


Estratégia de esquerda!!!!

Estas guerras políticas , os políticos utilizam estratégias de exercito para compensar suas desvantagens, potencializando assim as forças de que dispõem. As formações políticas mais comuns mostram isso com muita inteligência. Estão mostrando através de suas explicações, os tipos de formações mais comuns que circulam nas cabeças dos generais da velha política, mas antes disso, é preciso abordar as condições que levarão ao aperfeiçoamento de uma gestão política para vencer as batalhas , antes de vencer a guerra ,um trabalho árduo para os políticos de esquerda que poucos vão entender suas aplcações e atitudes par vencer o oponente , os partidos travestidos de esquerda .

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

O ITALIANO DA ODEBRECHT PODE SER EDUARDO CUNHA, DE ACORDO COM A ANALISE DAS INFORMAÇÕES DA INVESTIGAÇÃO DA LAVA –JATO!!!!!!!!




A força-tarefa da Lava Jato , nos últimos dois vem trazendo detalhes de que poderá chegar ao nome de 

EDUARDO CUNHA como o italiano e quais seriam as ligações dele com a Odebrecht e o Petrolão!

Quando a força-tarefa da Lava Jato encontrou a planilha chamada ”Posição Especial Programa Italiano”, em fevereiro de 2016 , acreditava que poderia se tratar do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, que tem nacionalidade italiana , mas de acordo com as pesquisas , o ex presidente da Camará dos Deputados no Congresso Nacional Eduardo Cunha também tem nacionalidade Italiana, ao que tudo indica estaria pronto para fugir para Itália.

POR VOLTA DAS 13H20 DESTA QUARTA-FEIRA (19/10/2016) os investigadores receberam ordem para prendê-lo preventivamente.

“De acordo com muitas noticias ,hoje podermos afirmar sem sombra de dúvidas que quando a Odebrecht se referia a ‘Italiano’, ela se referia a Eduardo Cunha ”, a Polícia Federal por sua vez ainda não atrelou os fatos dos milhões encontrado na contas secretas do ex deputado.

A força-tarefa ainda não percebeu através de diversos tipos de negociações de Eduardo Cunha junto a outros políticos , que devem ter sidos trocados e-mails e mensagens com Marcelo Odebrecht que ‘Italiano’ eram pessoas diferentes daqueles já investigados.

Analisando as noticias dos últimos dois anos em várias delas , aparece o nomes de muitos políticos , que seria suspeitos de serem os Italiano , mas na verdade estão associando ao então subordinado a Palocci do PT. 



                           

Os investigadores também deram detalhes sobre a planilha “Itália”, que fazia parte do chamado Setor de Operações Estruturadas. Segundo o Ministério Público Federal, o setor era responsável pelo pagamento de propina.


A planilha cobre o período de 2008 a 2012. E tem várias indicações com valores correspondentes. Entre eles, 



NOMES CITADOS
 PARTIDO
UF
CARGO
Antônio Carlos Magalhães Neto
DEM
BA
Prefeito de Salvador
Carlo Caiado, o Caiadinho
DEM
RJ
Vereador do Rio de Janeiro (RJ)
César Maia
DEM
RJ
Vereador do Rio de Janeiro
Demóstenes Torres
DEM
GO
Ex-senador
Jefferson Morais
DEM
AL
Ex-candidato a deputado estadual
João Alves
DEM
SE
Prefeito de Aracaju (SE)
José Agripino
DEM
RN
Senador e presidente nacional do DEM
José Carlos Aleluia
DEM
BA
Deputado federal
Leonardo Prates
DEM
BA
Vereador em Salvador (BA)
Mandetta
DEM
MS
Deputado federal
Mendonça Filho
DEM
PE
Deputado federal
Milton Leite
DEM
SP
Vereador em São Paulo (SP)
Paulo Souto
DEM
BA
Ex-governador da Bahia, secretário da Fazenda de Salvador (BA)
Rodney Miranda
DEM
ES
Prefeito de Vila Velha (ES)
Rodrigo Maia
DEM
RJ
Deputado federal
Tião Bocalon
DEM
AC
Ex-prefeito de Acrelândia (AC) e ex-candidato ao governo do Acre pelo PSDB
Aldo Rebelo
PCdoB
SP
Ministro da Defesa
Atila Jacomussi
PCdoB
SP
Deputado estadual
Daniel Almeida
PCdoB
BA
Deputado federal
Isaac Carvalho
PCdoB
BA
Prefeito de Juazeiro (BA)
Jussara Cony
PCdoB
RS
Vereadora em Porto Alegre (RS)
Manuela D’Ávila, ou “Avião”
PCdoB
RS
Deputada estadual
Marcelo Malta
PCdoB
AL
Ex-vereador em Maceió (AL)
Marcio Marques dos Santos
PCdoB
RJ
Ex-candidato a deputado estadual (RJ)
Vanessa Graziotin
PCdoB
AM
Senadora
Cid Gomes
PDT
CE
Ex-governador do Ceará
Gilmar Sossella
PDT
RS
Deputado estadual
Gustavo Fruet
PDT
PR
Prefeito de Curitiba
João Bosco Vaz
PDT
RS
Vereador em Porto Alegre (RS)
José Fortunati
PDT
RS
Prefeito de Porto Alegre (RS)
Marcelo Essvein
PDT
RS
Ex-vereador em Triunfo (RS)
Mauro Zacher
PDT
RS
Secretário de Obras em Porto Alegre (RS), onde é vereador licenciado
Patrícia Sampaio
PDT
AL
Suplente de deputada estadual, cargo que exerceu por quatro meses
Paulo Azeredo
PDT
RS
Deputado estadual
Pedro Serafim Jr.
PDT
SP
Ex-prefeito de Campinas (SP)
Ronaldo Lessa
PDT
AL
Deputado federal
André Puccinelli
PMDB
MS
Ex-governador
Antônio Ceron
PMDB
SC
Secretário da Casa Civil do governo de Santa Catarina
Cristiano Matheus
PMDB
AL
Prefeito de Marechal Deodoro (AL)
Edson Moura
PMDB
SP
Ex-prefeito de Paulínia (SP)
Eduardo Cunha
PMDB
RJ
Deputado federal, atual presidente da Câmara dos Deputados
Eduardo Paes, o “Nervosinho”
PMDB
RJ
Prefeito do Rio de Janeiro (RJ)
Fabio Branco
PMDB
RS
Secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia
Francisco Manoel de Carvalho
PMDB
RJ
Ex-candidato a deputado estadual (RJ)
Gabriel Chalita
PMDB
SP
Secretário municipal de Educação de São Paulo
Henrique Eduardo Alves
PMDB
RJ
Ministro do Turismo
Jader Barbalho
PMDB
PA
Senador
Jarbas Vasconcelos, ou “Viagra”
PMDB
PE
Deputado federal
Jarbas Vasconcelos Filho
PMDB
PE
Candidato a vereador em Recife (PE), filho do deputado federal homônimo
Jorge Felippe
PMDB
RJ
Vereador no Rio de Janeiro (RJ), onde preside a Câmara Municipal
Jorge Picciani, ou “Grego”
PMDB
RJ
Deputado estadual, presidente da Assembleia Legislativa do RJ
José Priante
PMDB
PA
Deputado federal
José Sarney, o “Escritor”
PMDB
AP
Ex-senador e ex-presidente da República
Leur Lomanto Jr.
PMDB
BA
Deputado estadual
Luis Fernando Pezão
PMDB
RJ
Governador do Rio de Janeiro
Luiz Antônio Guaraná
PMDB
RJ
Conselheiro do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro
Marcia Marques
PMDB
MS
Ex-candidata a prefeita em Antônio João (MS)
Márcio Biolchi
PMDB
RS
Chefe da Casa Civil do governo gaúcho e deputado federal licenciado
Marco Alba
PMDB
RS
Prefeito de Gravataí (RS)
Mário Kértesz
PMDB
BA
Ex-prefeito de Salvador (BA)
Mauro Poeta
PMDB
RS
Prefeito de Triunfo (RS)
Moreira Franco , o “Gato Angorá”
PMDB
RJ
Ex-governador do Rio de Janeiro e ex-ministro da Aviação Civil
Nelson Bornier
PMDB
RJ
Prefeito de Nova Iguaçu (RJ)
Nilson Bonome
PMDB
SP
Secretário de Governo de São Caetano do Sul (SP)
Orlando Tolentino
PMDB
PE
Secretário de Governo de Petrolina (PE)
Osmar Terra
PMDB
RS
Deputado federal
Pablo Mendes Ribeiro
PMDB
RS
Ex-candidato a vereador em Porto Alegre (RS)
Paulo Cesar Melo de Sá
PMDB
RJ
Deputado estadual
Pedro Augusto
PMDB
RJ
Deputado estadual
Pedro Godinho
PMDB
BA
Ex-vereador em Salvador (BA)
Renan Calheiros, o “Atleta”
PMDB
AL
Senador, atual presidente do Senado
Romero Jucá
PMDB
RR
Senador
Roseana Sarney
PMDB
MA
Ex-governadora do Maranhão e ex-senadora
Sergio Aquino
PMDB
SP
Ex-candidato à prefeitura de Santos
Sérgio Cabral, o “Proximus”
PMDB
RJ
Ex-governador do Rio de Janeiro
Silas Brasileiro
PMDB
MG
Deputado federal
Vanessa Damo
PMDB
SP
Deputada estadual
Chiquinho de Zaira
PMN
SP
candato a deputado federal por Santos (SP)
Afonso Hamm
PP
RS
Deputado federal
Aguinaldo Ribeiro
PP
PB
Deputado federal
Ana Amélia Lemos
PP
RS
Senadora
Arnaldo Jardim
PP
SP
Secretário de Agricultura do estado de SP e deputado federal licenciado
Ciro Nogueira
PP
PI
Senador
Francisco Dornelles
PP
RJ
Vice-governador do Rio de Janeiro
Frederico Antunes
PP
RS
Deputado estadual
Giovanni Ferreira Derrico
PP
BA
Ex-vereador e ex-candidato a prefeito de Camaçari (BA)
Jeferson Andrade
PP
BA
Prefeito de Madre de Deus (BA)
João Carlos Nedel
PP
RS
Vereador em Porto Alegre (RS)
João Fischer, ou Fixinha
PP
RS
Deputado estadual
José Camilo Zito
PP
RJ
Ex-prefeito de Duque de Caxias (RJ)
José Otavio Germano
PP
RS
Deputado federal
Julio Lopes
PP
RJ
Deputado federal
Kevin Krieger
PP
RS
Vereador em Porto Alegre (RS)
Leonardo Hoff
PP
RS
Ex-vereador de Novo Hamburgo (RS)
Luiz Fernando Faria
PP
MG
Deputado federal
Mano Changes
PP
RS
Deputado estadual
Marquinho Fiorella
PP
SP
Vereador de Paulínia (SP)
Otomar Vivian
PP
RS
Prefeito de Caçapava do Sul (RS)
Renato Molling
PP
RS
Deputado federal
Ricardo Barros
PP
PR
Deputado federal
Toni Proença
PPL
RS
Vereador em Porto Alegre (RS)
Arthur Oliveira Maia
PPS
BA
Deputado federal
Luciano Resende
PPS
ES
Prefeito de Vitória (ES)
Raul Jungmann, ou “Bruto”
PPS
PE
Deputado federal
Roberto Freire
PPS
SP
Deputado federal
Soninha Francine
PPS
SP
Ex-vereadora em São Paulo (SP)
Anthony Garotinho
PR
RJ
Secretário de Governo na Prefeitura de Campos dos Goytacases (RJ)
Clarissa Garotinho
PR
RJ
Deputada federal
Rosinha Garotinho
PR
RJ
Prefeita de Campos dos Goytacases (RJ)
Tonha Magalhães
PR
BA
Ex-deputada federal e ex-prefeita de Candeias (BA)
Beto Mansur
PRB
SP
Deputado federal
Celso Russomano
PRB
SP
Deputado federal
Joao Pacifico
PRB
RJ
Ex-vereador de Sumidouro (RJ)
Adalberto Souza Galvão
PSB
BA
Deputado federal
Aidan Ravin
PSB
SP
Ex-prefeito de Santo André (SP)
Beto Albuquerque
PSB
RS
Ex-deputado federal
Eduardo Campos
PSB
PE
Ex-governador de Pernambuco e ex-ministro da Ciência e Tecnologia (falecido)
Ettore Labanca
PSB
PE
Presidente da Agência de Regulação de Pernambuco
Fernando Bezerra Coelho, o “Charada”
PSB
PE
Senador
Geraldo Júlio
PSB
PE
Prefeito de Recife (PE)
Heitor Schuch
PSB
RS
Deputado federal
Heráclito Fortes
PSB
PI
Deputado federal
Jonas Donizette
PSB
SP
Prefeito de Campinas (SP)
José Pavan Júnior
PSB
SP
Prefeito de Paulínia (SP)
Luciano Ducci
PSB
PR
Deputado federal
Márcio Lacerda
PSB
MG
Prefeito de Belo Horizonte
Marquinho da Bola
PSB
SP
Vereador de Campinas (SP)
Renato Casagrande
PSB
ES
Ex-governador do Espírito Santo e ex-senador
Severino Branquinho
PSB
PE
Prefeito de Bezerris (PE)
Wilson Martins
PSB
PI
Ex-governador do Piauí
Abelardo Leopoldino
PSC
AL
Vereador em Marechal Deodoro (AL), onde é o presidente da Câmara Municipal
Alcebíades Sabino
PSC
RJ
Prefeito de Rio das Ostras (RJ)
Leonice da Paz
PSC
SP
Ex-vereadora em Campinas (SP)
Alexandre Silveira
PSD
MG
1º Suplente do senador Antônio Anastasia (PSDB-MG)
André Corrêa
PSD
RJ
Deputado estadual
Cesar Souza Junior
PSD
SC
Prefeito de Florianópolis
Coronel Teatini
PSD
MG
Ex-candidato a vereador em Ipatinga (MG)
Dárcy Vera
PSD
SP
Prefeita de Ribeirão Preto (SP)
Eduardo Alencar
PSD
BA
Prefeito de Simões Filho (BA)
Edvaldo Brito
PSD
BA
Vereador em Salvador (BA)
Raimundo Colombo
PSD
SC
Governador de Santa Catarina
Ratinho Junior
PSD
PR
Deputado estadual
Roberto Santiago
PSD
SP
Ex-deputado federal
Sergio Zveiter
PSD
RJ
Deputado federal
“Vereadores PSDB-SP”
PSDB
SP
Não identificados
Ademir Lucas, ou “Demir”
PSDB
MG
Ex-prefeito de Contagem (MG) e ex-deputado federal
Aécio Neves
PSDB
MG
Senador
Alexandre José Berardinelli Arraes
PSDB
RJ
Ex-candidato a vereador no Rio de Janeiro (RJ)
Antero Paes de Barros Neto
PSDB
MT
Ex-senador
Arthur Virgílio
PSDB
AM
Prefeito de Manaus (AM)
Arthur Virgílio Bisneto
PSDB
AM
Deputado federal
Betinho Gomes
PSDB
PE
Deputado federal
Beto Richa
PSDB
PR
Governador do Paraná
Bruno Araújo
PSDB
PE
Deputado federal
Cássio Cunha Lima
PSDB
PB
Senador
Cícero Lucena
PSDB
PB
Ex-senador
Cristina Carrara
PSDB
SP
Prefeita de Sumaré (SP)
Daniel Coelho, o “Comuna”
PSDB
PE
Deputado federal
Dinha
PSDB
GO
Ex-prefeito de Planaltina de Goiás (GO)
Duarte Nogueira
PSDB
SP
Secretário de Transportes do Estado de SP e deputado federal licenciado
Dudu Ronalsa
PSDB
AL
Vereador em Maceió (AL)
Elias Gomes
PSDB
PE
Prefeito de Jaboatão dos Guararapes (PE)
Firmino Filho
PSDB
PI
Prefeito de Teresina
Geraldo Alckimin
PSDB
SP
Governador
Gláucia Brandão, ou “candidato Neves/MG”
PSDB
MG
Ex-candidata a prefeita de Ribeirão das Neves (MG)
Guilherme Maluf
PSDB
MT
Deputado estadual
Jaison Cardoso
PSDB
SC
Prefeito de Imbituba (SC)
João Almeida
PSDB
BA
Ex-deputado federal
Jorge Vi
PSDB
AL
Ex-candidato a deputado federal
José Aníbal
PSDB
SP
Suplente do senador José Serra (PSDB-SP) e ex-deputado federal
José Serra
PSDB
SP
Senador
Jutahy Magalhães Jr.
PSDB
BA
Deputado federal
Luis Paulo Correa da Rocha
PSDB
RJ
Deputado estadual
Luiz Carlos Hauly
PSDB
PR
Deputado federal
Luiz Paulo Veloso Lucas
PSDB
ES
Ex-deputado federal e ex-prefeito de Vitória (ES)
Marconi Perillo
PSDB
GO
Governador de Goiás
Mendes Thame
PSDB
SP
Deputado federal
Nelson Marquezan Jr.
PSDB
RS
Deputado federal
Otávio Leite
PSDB
RJ
Deputado federal
Pablito
PSDB
MG
Vereador em Belo Horizonte (MG)
Paulo Abi-Ackel
PSDB
MG
Deputado federal
Paulo Barbosa
PSDB
SP
Prefeito de Santos (SP)
Paulo Câmara
PSDB
BA
Vereador em Salvador (BA), onde preside a Câmara Municipal
Reinaldo Azambuja
PSDB
MS
Governador de Mato Grosso do Sul
Rita Camata
PSDB
ES
Ex-deputada federal
Roberto Carlos de Souza
PSDB
SC
Prefeito de Navegantes (SC)
Rogério Marinho
PSDB
RN
Deputado federal
Romero Rodrigues
PSDB
PB
Prefeito de Campina Grande (PB)
Rui Palmeira
PSDB
AL
Prefeito de Maceió (AL)
Tarsila Crusius
PSDB
RS
Candidata a vereadora em Porto Alegre, filha da ex-governadora Yeda Crusius (PSDB-RS)
Theotônio Vilella
PSDB
AL
Ex-governador de Alagoas
Wambert Di Lorenzo
PSDB
RS
Candidato a prefeito em Porto Alegre (RS)
Marcelo Nilo
PSL
BA
Deputado estadual, presidente da Assembleia Legislativa da Bahia
Milton Temer
Psol
RJ
Ex-deputado federal
Adão Villaverde
PT
RS
Deputado estadual
Adeli Sell
PT
RS
Vereador em Porto Alegre (RS)
Ademar Delgado
PT
BA
Prefeito de Camaçari
Agnelo Queiroz
PT
DF
Ex-governador do Distrito Federal e ex-ministro do Esporte
Alicia Neves
PT
RJ
Ex-candidata a vereadora em Armazão dos Búzios (RJ)
Aloizio Mercadante
PT
SP
Ministro da Educação
Antonio Donato
PT
SP
Vereador em São Paulo (SP)
Carlito Merss
PT
SC
Ex-deputado federal e ex-prefeito de Joinville
Carlos Comassetto
PT
RS
Vereador em Porto Alegre (RS)
Carlos Grana
PT
SP
Prefeito de Santo André
Carlos Martins
PT
BA
Ex-candidato a prefeito de Candeias (BA)
Carlos Todeschini
PT
RS
Secretário municipal do Meio Ambiente de Canoas (RS) e ex-vereador em Porto Alegre (RS)
Carlos Zarattini
PT
SP
Deputado federal
Carmen Gandarela
PT
BA
Ex-prefeita de Madre de Deus (BA)
Custódio Campos
PT
SP
Vereador de Paulínia (SP)
“Diversos vereadores”
PT
Não identificados
Donisete Braga
PT
SP
Prefeito de Mauá (SP)
Edinho Silva
PT
SP
Ministro da Comunicação Social da Presidência da República
Elizabeth Siraque
PT
SP
Vereadora em Santo André (SP)
Fátima Cleide
PT
RO
Ex-senadora
Fernando Haddad
PT
SP
Prefeito de São Paulo (SP)
Fernando Marroni
PT
RS
Suplente de deputado federal e ex-prefeito de Pelotas
Fernando Pimentel
PT
MG
Governador de Minas Gerais
Francisco Chagas
PT
SP
Ex-vereador de São Paulo (SP) e ex-candidato a deputado federal
Francisco   Daniel Celeguim
PT
SP
Prefeito de Franco da Rocha (SP)
Geraldo Simões
PT
BA
Ex-deputado federal
Gilmar Rinaldi
PT
RS
Prefeito de Esteio (RS)
Gleise Hoffmann
PT
PR
Senadora
Heitor Luiz Lermen
PT
RS
Ex-candidato a prefeito em Montenegro (RS)
Helen Cabral
PT
RS
Ex-candidata a prefeita de Santa Maria (RS)
Humberto Costa, ou “Drácula”
PT
PE
Senador
Jacques Pena
PT
DF
Ex-presidente do Banco de Brasília (BRB)
Jairo Jorge
PT
RS
Prefeito de Canoas (RS)
Jaques Wagner
PT
BA
Ministro do Gabinete Pessoal da Presidência da República
João Paulo Cunha
PT
SP
Ex-deputado federal
João Paulo Rillo
PT
SP
Deputado estadual
Jorge Bittar
PT
RJ
Ex-deputado federal
Jorge Samek
PT
PR
Diretor-geral da Itaipu Binacional
Josimar Campos de Souza , ou Mazinho
PT
RJ
Presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção de Duque de Caxias (RJ)
Jussara Márcia
PT
BA
Prefeita de Dias D’Ávila (BA)
Lessa
PT
BA
Vereador em Salvador (BA)
Lindbergh Farias, o “Lindinho”
PT
RJ
Senador
Luis Tavares
PT
BA
Ex-candidato a vereador em Camaçari (BA)
Luiz Marinho
PT
SP
Prefeito de São Bernardo do Campo (SP)
Luiz Sergio
PT
RJ
Deputado federal
Marcelo Sereno
PT
RJ
Ex-candidato a deputado federal
Marcia Lopes
PT
PR
Ex-candidata a prefeita de Londrina, irmã do ex-ministro Gilberto Carvalho
Marcia Rosa
PT
SP
prefeita de Cubatão
Márcio Pochmann
PT
SP
Ex-candidato a prefeito de Campinas (SP)
Marco Maia
PT
RS
Deputado federal
Marcos Cláudio Lula
PT
SP
Vereador em São Bernardo do Campo (SP)
Marcos Daneluz
PT
RS
Ex-deputado estadual
Maria do Carmo Lara
PT
MG
Ex-deputada federal e ex-prefeita de Betim (MG)
Maria do Rosário
PT
RS
Deputada federal
Nelson Pelegrino, o “Pelé”
PT
BA
Secretário de Turismo da Bahia, deputado federal licenciado
Patrus Ananias
PT
MG
Ministro do Desenvolvimento Agrário e deputado federal licenciado
Paulo Bernardo
PT
PR
Ex-deputado federal e ex-ministro do Planejamento e das Comunicações
Paulo Garcia, ou “Pastor”
PT
GO
Prefeito de Goiânia (GO)
Paulo Teixeira
PT
SP
Deputado federal
Pedro Eugênio Pinheiro
PT
PE
Ex-deputado federal (falecido)
PH Lage
PT
Não identificado
Pinheiro do Sindicato
PT
BA
Ex-candidato a vereador em Salvador (BA)
Ricardo Barbosa
PT
AL
Ex-vereador em Maceió (AL)
Ronaldo Zulke
PT
RS
Deputado federal
Sebastião Almeida
PT
SP
Prefeito de Guarulhos (SP)
Tarcísio Zimmermann
PT
RS
Deputado estadual
Tarso Genro
PT
RS
Ex-governador do Rio Grande do Sul e ex-ministro da Justiça
Thomaz Beltrão
PT
AL
Ex-candidato a vereador em Maceió (AL)
Tito
PT
SP
Deputado estadual
Vanderlei Siraque
PT
SP
Ex-deputado federal
Vander Loubet
PT
MS
Deputado federal
Vânia Galvão
PT
BA
Vereadora em Salvador (BA)
Waldir Pires
PT
BA
Vereador em Salvador (BA)
Wellington Dias
PT
PI
Governador do Piauí
Zé Geraldo
PT
PA
Deputado federal
Oswaldo Barba
PT
SP
Ex-prefeito de São Carlos (SP)
Armando Monteiro
PTB
PE
Ministro de Desenvolvimento, senador licenciado
Neilton Costa
PTB
AL
Vereador em Marechal Deodoro (AL)
Sergio Zambiasi
PTB
RS
Ex-senador
Ciro Tiziani Moura
PTC
SP
Ex-candidato a governador e a prefeito de São Paulo (SP)
Rosinha da Adefal
PTdoB
AL
Secretária de Defesa da Mulher do governo de Alagoas, ex-deputada federal
Alberto Castro
PTN
BA
Deputado estadual
Luiz Carlos Ramos
PTN
RJ
Deputado federal
Mauricio Bacellar
PTN
BA
Ex-candidato a prefeito de Camaçari (BA)
Aluízio dos Santos Júnior
PV
RJ
Prefeito de Macaé (RJ)
Aspásia Camargo
PV
RJ
Deputada estadual
Dr. Paulinho
PV
SP
Ex-candidato a prefeito em Mogi Guaçu (SP)
Eduardo Canuto
PV
AL
Vereador em Maceió (AL)
Humberto Carballal
PV
BA
Vereador em Salvador (BA)
Jovino Cândido
PV
SP
Ex-prefeito de Guarulhos (SP)
Paulo Magalhaes Jr.
PV
BA
Vereador em Salvador (BA)
Rodrigo Neves
PV
RJ
Prefeito de Niterói (RJ)
Sílvio Camelo
PV
AL
Vereador em Maceió (AL)
Randolfe Rodrigues
Rede
AP
Senador
Geraldo Junior
SD
BA
Vereador de Salvador (BA)
Paulinho da Força
SD
SP
Deputado federal e presidente nacional do Solidariedade e da Força Sindical
Alfredo Sirkis
sem partido
RJ
Ex-deputado federal
Vado da Farmácia
sem partido
PE
Prefeito de Cabo do Santo Agostinho (PE)
Cleiber Santana
AL
Não identificado
Cacau Gomes
AL
Não identificado
“Candidato Valadares”
MG
Não identificado
“Candidato Porto Velho”
RO
Não identificado
“Candidato Palmas”
TO
Não identificado
Julio Damesa
Não identificado

PL 4330 foi  aprovado na Câmara dos Deputados e tenta impor derrota histórica para os trabalhadores!!!
O texto base do Projeto de Lei 4330 da terceirização foi aprovado ontem, 8/4, na Câmara dos Deputados após os confrontos da última terça-feira entre manifestantes contrários ao Projeto e a polícia do Distrito Federal. Eduardo Cunha (PMDB), presidente da Câmara, mostrou mais uma vez sua força. A aprovação do PL da terceirização, que na próxima semana receberá emendas na Câmara e passará em seguida ao Senado, significará uma derrota histórica para os trabalhadores do país.Com pressão das entidades industriais, principalmente a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o presidente da Câmara Eduardo Cunha conseguiu colocar o PL 4330 em votação de urgência, que vinha há 11 anos sendo discutido no Congresso Nacional, e aprovar o projeto nesta quarta-feira. Com a base aliada majoritariamente votando a favor do projeto, apenas PT, PCdoB e PSOL votaram contra o texto do Projeto.




Tudo indica que houve participação do senado através de outros políticos e anti agencia de inteligencia nas casas dos políticos que se encontra na lista da Odebrecht. A provação da PL 4330 explica a força de Eduardo Cunha para aprovação , que irá beneficiar as construtora através de mão de obra terceirizada ,facilitando a constituição de empresas fantasmas para lavagem de dinheiro da corrupção. 

Os investigadores encontraram uma atualização dessa planilha no celular de Marcelo Odebrecht, com pagamentos até 2013.
Segundo o juiz Sérgio Moro, a planilha tem aparência de uma espécie de conta corrente informal do grupo Odebrecht com agentes de vários partidos .

“Os valores de R$ 128 milhões. A grande maioria sim era destinada ao que tudo indica aos Partido do alto clero . E um saldo de R$ 70 milhões que seria ainda entregue posteriormente a esta data de outubro de 2013. Acreditamos que ainda há a necessidade de aprofundar as investigações neste ponto e em outros envolvendo muitos partidos.

A força-tarefa também apura se R$ 6 milhões foram diretamente para EDUARDO CUNHA e investiga o caminho dos R$ 128 milhões.
Tanto os procuradores como o juiz Sérgio Moro identificaram que vários pagamentos foram feitos fora do período eleitoral, o que também sugere não se tratar apenas de meras doações.

Analisando, todo o quadro da lava jato podemos sinalizar que Eduardo Cunha mantinha relações intensas com o grupo Odebrecht e inclusive com Marcelo Odebrecht através de terceiros dentro da política . O identificado pelo codinome “Italiano”, prestou, mesmo no período que exercia cargo ou mandato público, serviços ao grupo Odebrecht junto ao governo federal.


"Será que Eduardo Cunha tem um papel maior que seus companheiros políticos ? Achamos que não restam dúvidas. Com tudo, depois da condenação de vários políticos condenados no mensalão , e pelos cargos que estes ocuparam e como mediadores das negociações junto do governo federal até mesmo depois de deixar seus cargos .

A Primeira Lista de Compra de Votos (ou Mensalão) que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) aprovou por unanimidade o relatório preliminar da primeira junção em 1º de setembro de 2005. O relatório acusa 18 deputados brasileiros da participação no escândalo de corrupção:

1.   Carlos Rodrigues        (PL - Rio de Janeiro)
2.   Vanderval Santos        (PL - São Paulo)
3.   Sandro Mabel              (PL - Goiás)
4.   Roberto Brant              (PFL - Minas Gerais)
5.   José Borba                  (PMDB - Paraná)
6.   Romeu Queiroz           (PTB - Minas Gerais)
7.   Roberto Jefferson        (PTB - Rio de Janeiro)
8.   Vadão Gomes              (PP - São Paulo)
9.   José Janene                (PP - Paraná)
10. Pedro Corrêa               (PP - Pernambuco)
11. Pedro Henry                 (PP - Mato Grosso)
12. João Magno                  (PT - Minas Gerais)
13. João Paulo Cunha        (PT - São Paulo)
14. Josias Gomes da Silva (PT - Bahia)
15. Paulo Rocha                 (PT - Bahia)
16. Professor Luizinho        (PT - São Paulo)
17. José Mentor                  (PT - São Paulo)
18. José Dirceu                  (PT - São Paulo)



A Operação Lava Jato também investiga vários indícios de que estes políticos junto ao governo federal para atender a interesses da Odebrecht. 

Os exemplos citados nesta segunda foram a contratação de sondas para o pré-sal, o projeto de desenvolvimento de submarinos do programa nuclear da Marinha, e aumento da linha de crédito do BNDES para o governo de Angola, que era de US$ 700 milhões.

“Italiano fez varias ligações. Ele mesmo pediu, além dos argumentos para a sanção veto parcial, que levassem alternativas para compensar a Odebrecht . Eles precisariam ser criativos! De acordo com analises das noticias , os políticos achavam que o ideal seria colocar valores e quantidades para serem compensados em cada uma das opções abrindo assim um menumix de escolha tributárias e ou com a Petrobras”.

Existem muitas informações ao longo das investigações que muitos advogados , receberam com detalhes sobre o andamento das prisões de pessoas envolvidas para as devidas providencias nas delações premiadas da Lava Jato.. 


Na época, R$ 10 milhões, e mais R$ 2,3 milhões de pendências na prefeitura.Para a Lava Jato, a soma dos dois valores, R$ 12,3 milhões, é compatível com o registro na planilha “Italiano”.










BOLSONARO!!! A CRISE ECONÔMICA AMERICANA CHEGANDO DE DRONE NO MUNDO

A CRISE AMERICANA A GRANDE MARMOTA DE UMA  CRISE IMOBILIÁRIA DE 2008! Com o Golpe Financeiro no Setor imobiliário ,uma vez mais economia...